572 Shares 1552 views

Quando a solução de pré-julgamento para a disputa é necessária nos processos de arbitragem?

legislação de arbitragem-processual da Federação Russa contém disposições, que em muitos casos obrigar as partes a disputas econômicas para iniciar uma resolução de pré-julgamento de eventuais litígios. Este procedimento tem um monte de nuances, devido às peculiaridades de uma esfera particular das relações jurídicas, bem como as especificidades da interacção inter-empresarial entre empresas. O que são eles? Em alguns casos, assentamento pré-julgamento da arbitragem contesta necessariamente por causa das exigências da lei?


Qual é a essência do procedimento de liquidação pré-julgamento por disputas entre as empresas?

O processo pré-julgamento de resolução de disputa no processo de arbitragem envolve o uso das partes, ou seja, entidades empresariais, afirma mecanismo, que não fazem parte da ação diretamente para o tribunal partilha. Portanto, este procedimento é muitas vezes referida Reivindicações. Se as partes não chegaram a um compromisso, ele fez um apelo ao Tribunal Arbitral dentro da ordem pré-julgamento.

Eu tenho que pré-encomenda aplicação nos processos de arbitragem?

Mais cedo exame pré-julgamento das diferenças poderia ser iniciado por um grupo de relações jurídicas, que sentiu uma violação dos seus direitos no âmbito da cooperação com a contraparte, a seu pedido. Agora, o processo de pré-julgamento de resolução de disputa no processo de arbitragem é geralmente necessária se há diferenças nas relações de direito civil. Ou seja, antes de ir para o tribunal, o partido deve dirigir o pedido à contraparte. A principal fonte de direito, que contém a exigência – APC RF.

Entrando em contato com uma entidade de negócios à autoridade competente responsável pela realização dos assuntos de arbitragem, ele só pode ser efectuada depois de 30 dias a partir da data em que o pedido é enviado para a contraparte. Mas no contrato e outras condições podem ser prescritos entre entidades económicas.

Vale ressaltar que, se a disputa está contestando a decisão, que emitido pelo tribunal arbitral, e está associada com empresas, bem como as relações públicas administrativas e outras, o exame pré-julgamento das partes necessárias somente se ele é prescrito em lei federal separado.

Pode-se notar que no início a legislação RF agiu normas de acordo com o que foi necessário o início de procedimento para a análise do pedido de um litígio civil, se exigido pelas fontes individuais de lei. Por exemplo, na legislação reguladora do setor de transporte exigida às empresas que têm divergências, não se aplicam imediatamente à arbitragem, e iniciar um processo de pré-julgamento por conta das dificuldades encontradas.

Se o requerente se recusa a prender um assentamento pré-julgamento do litígio, a arbitragem terá o direito de abandonar sua reivindicação sem movimento, no entanto, convidar a entidade económica para eliminar a violação de que em um determinado momento. Se o tribunal considerar que o processo de pré-julgamento de resolução de disputa no processo de arbitragem não for cumprido após a adopção de uma ação, a mensagem correspondente será deixado sem consideração.

Assim, em disputas civis – na verdade, eles são mais freqüentemente encontrados em entidades comerciais com diferenças – necessidade de começar a abordar a questão na ordem pré-julgamento. Ou seja, utilizar a alegação. Consideramos que ele representa, e como é feita.

Afirmam que o documento principal no âmbito do processo de pré-julgamento de resolução de litígios

Pode-se notar que o pedido pode ser uma fonte, que deve ser aplicado não só quando realizadas assentamento pré-julgamento obrigatória das disputas, mas, em princípio, e na maioria das situações onde os parceiros no negócio há divergências. O fato de que o trabalho com a alegação – um processo que geralmente é menos demorado e dispendioso do que iniciar uma audiência judicial.

Se a contraparte é objetivamente viole os direitos de uma entidade económica em seu melhor interesse para atender a reivindicação correspondente. Mas se ele se recusa a fazê-lo, ou pensa que não violou as disposições do contrato, já é possível iniciar o recurso à arbitragem.

Formulário de Pedido, em questão, não é aprovado por lei. Assim, apesar da sua importância, o documento relevante, cuja elaboração envolve o processo de pré-julgamento de resolução de litígios apresentados sob qualquer forma, mas sujeito às regras gerais do processo.

É desejável que seja formado usando um papel timbrado da organização, que posteriormente pretende mover uma ação judicial sobre a contraparte ao tribunal arbitral, contém a assinatura do chefe da empresa, data de preparação, e outros detalhes necessários. Consideremos, então, que a formulação pode incluir um pedido em questão.

O conteúdo do pedido: o assunto da disputa

Em primeiro lugar, o documento relevante deve gravar a obrigação prevista no contrato entre entidades empresariais, o que resultou em um desentendimento entre os sócios. O documento também especifica a desordem particular, que, na opinião de uma das partes de relações jurídicas, fez a sua contraparte, bem como o não cumprimento das normas do direito – também de acordo com a parte relevante. Além disso, a reivindicação é exigência fixa para eliminar as violações da contraparte.

Além disso, o procedimento de pré-julgamento de resolução do litígio no processo de arbitragem com as reivindicações pretende incluir o valor de desempenho documento apropriado de uma reivindicação, o que levanta lado legal.

O conteúdo do pedido: o prazo de resposta

Neste documento deve refletir o período durante o qual a contraparte tem a obrigação de responder às demandas que são apresentadas pela entidade económica. Neste caso, não pode ser inferior ao prazo estipulado pelo contrato ou as disposições da legislação. A reivindicação também faz sentido incluir o idioma em que a contraparte será avisado sobre as consequências de seu parceiro deixando as demandas sem resposta. Ou seja, você pode especificar no documento, o próximo passo da empresa vai apelar para a autoridade competente, que realiza condução dos assuntos de arbitragem.

O conteúdo do pedido: Aplicação

Reivindicação pode complementar uma variedade de aplicações – por exemplo, documentos, declarações, confirmando que o contratante tenha violado os direitos das entidades económicas. Em princípio, é possível fazer e copiar, mas o original ainda deve estar na parte da disputa para acesso imediato.

alegação de pré-julgamento: enviar o documento como uma contraparte?

Reivindicar como um documento fundamental no âmbito de um procedimento como procedimento pré-julgamento de resolução de disputa no processo de arbitragem pode ser direcionado para a contraparte:

– por correio registado;

– por fax;

– por e-mail – mas, neste caso, é desejável que a autenticidade da reivindicação poderia determinar claramente.

Muitas empresas preferem usar a ajuda de serviços de correio na entrega e entrega pessoal de reivindicações para a contraparte sob a assinatura. Para resolver este problema pode ser dado as ordens apropriadas e também uma equipe de profissionais da empresa. Quaisquer documentos que comprovem que as queixas da parte contrária, como um recibo para o pagamento de serviços de serviços de correio ou, por exemplo, um aviso da estação de correios, deve ser retido por uma entidade económica. Se um procedimento pré-julgamento obrigatória para solucionar o litígio no processo de arbitragem não levará à resolução de problemas e as partes ainda recorrer à arbitragem, os documentos pertinentes devem ser anexados à declaração de reivindicação. Eles são a prova de que o pedido dirigido à contraparte, conforme exigido por lei.

Além disso, o aviso de recebimento correspondente ou outro documento semelhante serão os motivos para o período de referência, após o que podem ser concluídas legalmente processo de pré-julgamento de resolução de disputa no processo de arbitragem. Timing, como observamos acima, neste caso, pode ser definido nas disposições da lei ou nos acordos entre as entidades económicas. Uma vez que expirar, a empresa pode, se considerar necessário, iniciar uma reivindicação à arbitragem. Que, por sua vez, não tem nenhum fundamento legal para rejeitar a alegação.

O valor da ordem de reivindicação consideração de disputas econômicas

procedimento considerado – procedimento de pré-julgamento de resolução de disputa – no processo não só é expressa na observância das normas de direito processual entidades económicas arbitragem, mas também em muitos outros aspectos. Por exemplo, se a contraparte reconhece essas posições que são refletidas nas reivindicações de uma entidade económica, com base em um instrumento para arbitragem pode decidir sumariamente. Esta funcionalidade permite-lhe poupar tempo e reduzir as despesas das partes objecto de controvérsia no tribunal, se os compararmos com os que caracterizam a solução usual de disputas arbitragem.

A alegação, como parte do processo de resolução de disputas

Vale a pena pagar a atenção para as nuances importantes de relações jurídicas que envolvam entidades económicas: a alegação pode realmente ser apenas uma parte, embora importante, mas ainda um dos muitos, os procedimentos de solução de controvérsias é a arbitragem. Este documento é exigido em termos dos requisitos do procedimento de arbitragem. Mas, na prática, muitas empresas fazem, está fora das diferenças no contexto dos possíveis perspectivas de tratamento nos tribunais, iniciando o processo de pré-julgamento para resolver a disputa.

Neste caso, o algoritmo pode ser a consideração do problema se baseia:

– disposições de direito civil;

– em acordos entre empresas que estabelecem para os seus membros certos direitos e responsabilidades.

O procedimento padrão para a resolução de litígios fora da arbitragem podem incluir:

– consultas, reuniões internas sobre o problema;

– análise do problema, avaliação de várias circunstâncias que podem ser de importância em termos de geração gestão posição de sujeito, em cooperação com a contraparte;

– avaliação das provas de violações dos interesses da empresa;

– determinação da legalidade da posição de uma entidade económica do ponto de vista da legislação vigente;

– Formação de endereço reivindicação empresa – neste caso, como parte do processo de resolução do litígio;

– o início de negociações com empreiteiros.

A fim de efetivamente resolver diferenças com a contraparte, a empresa pode aplicar-se a vários empresa competente para consultas adicionais. Por exemplo – no centro de controvérsias arbitrais, empresas promocionais em resolver problemas e sem um julgamento.

Um tratamento alternativo à arbitragem pode ser, por exemplo, a arbitragem do tribunal. Este processo é caracterizado por uma eficiência muito maior, que envolve um apelo aos mesmos juízes qualificados que são capazes de tomar uma decisão justa.

Assim, é óbvio que em tal queixa relações jurídicas – apenas um dos possíveis instrumentos que são utilizados pelas partes para resolver o problema. As empresas não necessariamente assim, iniciar, de fato, o procedimento de pré-julgamento de resolução de litígios no processo de arbitragem. O direito de entidades empresariais – para resolver a disputa em particular. Em que, no entanto, pode ser usado tal como papel de acordo com a reivindicação – principal, por sua vez, quando arbitragens.

resumo

Assim, analisámos os casos nos quais é obrigatória de acordo com a solução a fim de pré-ensaio APC RF para a disputa no processo de arbitragem. Agora deve ser implementada em todos os casos quando um problema surgiu no âmbito das relações entre as entidades económicas que interagem em uma jurisdição de direito civil. Anteriormente, as empresas cooperação, com base das normas do Código Civil, pode voluntariamente – a menos que a lei federal de outra forma prevista para iniciar um processo de pré-julgamento de resolução de disputa no processo de arbitragem. Mudanças na legislação reguladora, que entrou em vigor em 2016, exigem que ele faça os temas de relações civis de qualquer maneira.

Por sua vez, se surgiu uma disputa dentro da decisão desafiadora do tribunal arbitral, nas relações administrativas, empresariais, sua resolução de tribunal, necessariamente, somente se forem requisitadas por lei federal separado.

O principal documento utilizado no âmbito do assentamento pré-julgamento de litígios entre entidades empresariais – a reivindicação. Deve ser enviado pela empresa que considera os seus direitos foram violados, a contraparte antes será servido com uma ação para arbitragem – caso contrário, o tribunal vai deixá-lo sem se mover. Apenas 30 dias após o envio da alegação de que documentado, por exemplo, através de um aviso da estação de correios, a empresa pode aplicar à arbitragem.

O fato de que o contratante reconhece os requisitos de créditos reconhecidos podem ser tidos em conta pelo tribunal arbitral em termos da legitimidade da disputa por meio de processos sumários.

A alegação, que é feita no âmbito de um procedimento como procedimento pré-julgamento de resolução de disputas entre agentes econômicos, também pode ser usado na reacção das partes, decidiu superar suas diferenças, em princípio, sem ir a tribunal. Neste caso, sua direção pode ser apenas uma das etapas de liquidação.