468 Shares 9136 views

Na Grã-Bretanha, aprovou uma lei que permite "espiar" aos cidadãos

Na semana passada, a Grã-Bretanha ficou chocada com a nova lei aprovada pelo governo, que, segundo Snowden, permite "a observação mais extrema dos cidadãos na história da democracia ocidental". Conhecido como a "Lei sobre Poderes de Investigação", ou a "Carta de Seguidores", este projeto de lei abre às agências governamentais o acesso a uma grande quantidade de dados pessoais relacionados a todos os membros da sociedade. Mas como exatamente a vigilância dos britânicos será conduzida de acordo com esta nova lei?


Curiosamente, os poderes de investigação do tribunal, que é o único órgão que controla MI5, MI6 e GCHQ, foram renovados no mês passado, já que essas instituições realizaram vigilância ilegal nos últimos 17 anos. Para garantir que isso não aconteça novamente, as autoridades decidiram simplesmente legitimar a maioria das atividades secretas.

Qual informação pessoal está aberta às agências

Por exemplo, a Carta da Sentinela permite às autoridades públicas acessar um conjunto de dados pessoais que inclui detalhes como transações financeiras, registros médicos, arranjos de viagem e comunicação. O projeto de lei também exige que os provedores de Internet mantenham um histórico de visualização de cada usuário e salvá-lo por 12 meses, tornando-o acessível para agências governamentais.

Quais agências têm acesso a informações

Uma extensa lista de organizações que podem acessar esta informação contém várias agências de aplicação da lei, como várias forças policiais britânicas, bem como serviços secretos de inteligência, CSP e Ministério da Defesa.

No entanto, a lista não pára por aí. Também inclui agências similares para padrões alimentares, comissões de jogo, Departamento de Trabalho e Pensões, bem como o Departamento de Renda de Sua Majestade e o serviço aduaneiro que lida com impostos.

Powers of law enforcement bodies

O projeto de lei também dá às autoridades responsáveis pela aplicação da lei poderes sem precedentes para invadir os dispositivos pessoais das pessoas, independentemente de serem suspeitas de envolvimento em atividades criminosas ou terroristas, ou não.

Também é alarmante que as operadoras de telecomunicações agora também sejam obrigadas a remover toda a criptografia para facilitar a acesso dos órgãos governamentais às informações. Se algumas novas medidas de segurança efetivas não forem tomadas, isso abrirá a porta para hackers que poderão adquirir informações pessoais britânicas mais facilmente do que nunca.

Não é surpreendente que ativistas e defensores da vida privada expressassem seu protesto contra a adoção do projeto, chamando-o de "a lei mais extrema de observação que já foi adotada em uma sociedade democrática".