94 Shares 6899 views

Ergot – o que é isso?

O fungo venenoso de maconha contém alcalóides perigosos, é um problema agrícola e, ao mesmo tempo, é cultivado artificialmente para fins farmacêuticos. Sua rápida disseminação para cereais na Idade Média levou a epidemias como resultado de comer pão de farinha infectada.


Muito na natureza é organizado de uma maneira incrível, e o que pode matar, ao mesmo tempo é capaz de curar.

O que é um ribeiro?

Argonace é um gênero de fungos da família do mesmo nome. Todos eles parasitam em cereais, incluindo centeio e trigo. Você pode encontrar outra versão do nome do fungo – cupons uterinos. O nome "ergot" vem da palavra antiga russa e significa "abundância, excesso". Um significado tão paradoxal, na opinião do lingüista O. N. Trubachev, naqueles dias era de natureza eufemística.

Os esclerócios do fungo são alongados, alongados, raramente triédricos, formações rígidas de forma curva com rachaduras e rugas longitudinais. A superfície é preto-violeta, às vezes com um toque branco, que é facilmente apagado, na cor da fratura é branco ou com um tom amarelo. O comprimento dos escleródios depende do tipo de cereal em que desenvolve o ergot (foto acima). Por exemplo, no centeio é 1-3 cm, e diâmetro até 6 mm.

Ergot na Idade Média

O envenenamento de animais e humanos com alcalóides de ergot tem seu nome – ergotismo. O fenômeno, por sinal, é cientificamente comprovado e na Idade Média foi de natureza massiva. Naquela época, pouco exigente para o solo e resistente às pragas, o centeio crescia em todos os lugares e o pão era o alimento básico. O grão infectado transformou-se em farinha e, assim, caiu sobre a mesa. O ergotismo causou epidemias em larga escala, e até mesmo houve uma ordem especial de antonias, que tratava o tratamento de pessoas infectadas.

O professor Shane Rogers, da Universidade de Clarkson, junto com seus estudantes de pós-graduação, investigou o problema dos fantasmas e chegou à conclusão de que em muitas casas onde sons ou visões estranhos foram observados, alguns moldes perigosos que podem afetar os moradores prosperam. Esta teoria confirma as conjecturas sobre a influência do ergot sobre eventos na Europa medieval, incluindo caça às bruxas, cruzadas. Na foto acima – a tela do artista flamengo, retratando as conseqüências da epidemia de ergotismo.

Ergot é um fungo parasítico com alcalóides, que, de acordo com alguns dados, causa não só envenenamento, mas também alucinações, convulsões e comichão. As histórias desses sintomas são conhecidas como "cãibras witchy" e "Antony Fire". Os alcaloides não se quebram mesmo após o tratamento térmico (cozimento de pão). Esse comportamento dos pacientes no contexto do fanatismo religioso levou a conseqüências trágicas.

Ciclo de desenvolvimento de fungos

O fungo de Mycelial tem uma tonalidade avermelhada, a sua formação ocorre na primavera, tem a aparência de pernas com cabeças, em cima das quais são corpos de frutas em forma de garrafa (perithets), claramente visíveis na foto abaixo. No último, ocorre o processo sexual, que é uma fusão de gametanglys, como resultado do qual um zigoto é formado. Ele entra imediatamente na divisão (meiosis) dentro da bolsa (aska), formada a partir do micélio do fungo.

Depois disso, no verão, as sementes de ergot (esporos) são transportadas por vento ou insetos a muitos quilômetros ao redor. Entrando no pilão de uma planta de cereais florescentes, eles germinam, e no final, não o grão, mas o micélio do fungo. Emite um suco especial que atrai insetos (orvalho). Desta forma, o fungo se espalha ainda mais por meio de esporos. Após o esgotamento do ovário, em seu lugar se formam os chamados esclerócios – um chifre formado por fungos de hifas fúngicas. Quando o cereal amadurece, cai no chão e hiberna no solo, e na primavera o processo se repete.

Cogumelo na agricultura

O cultivo especial de ergot é importante para comparar com os danos causados em campos agrícolas. De acordo com os padrões internacionais, o conteúdo de esporos de fungos venenosos no grão não deve exceder 0,05%. No entanto, alguns países estão exigindo uma absoluta falta de disputa em matérias-primas, em particular o Egito. O ergot se espalha rapidamente e em qualquer quantidade está sempre presente nos campos. De acordo com especialistas, trazer seu conteúdo no grão acabado para uma marca zero é extremamente difícil, mas teoricamente possível.

O ribeiro mais comum de trigo, centeio e cevada. A principal medida de combater o fungo é a limpeza completa da semente completa dos chifres, bem como o cultivo do solo de outono (outono) após a colheita. Sclerotia morre quando cheira. Como medida de precaução, é recomendável escolher para cultivar uma variedade com períodos de floração curtos e simultâneos e observar as regras de rotação das culturas.

Os fatores que contribuem para a propagação do ergot são as ervas daninhas de cereais e os precursores de campo, uma abundância de precipitação combinada com o vento durante a floração de cereais, clima frio e nublado, o que leva ao alongamento do período de floração.

Disseminação e cultivo

Deve notar-se que o ribeiro é um cogumelo, espalhado por toda parte, onde há cereais cereais. O fator climático mais favorável é a alta umidade (de 70%).

Como já mencionado acima, para fins farmacêuticos, o fungo, nomeadamente o espargo de puré, é cultivado especialmente. Para isso, existem fazendas estatais de plantas medicinais, em particular nas regiões Novosibirsk e Kirov da Rússia, na Bielorrússia. Os picos de centeio são especialmente infestados com esporos de cogumelos à mão ou por máquinas de injeção. O rendimento neste caso atinge 4 quintais por hectare.

A coleta de matérias-primas é realizada durante o período de amadurecimento, quando os chifres são pintados com uma cor castanho purpúrea, endurecem e se separam facilmente da orelha. O material coletado é seco em lojas bem ventiladas ao escurecer. Requisitos para matérias-primas pré-fabricadas: o teor de umidade não é superior a 11% e as impurezas na quantidade inferior a 1,5-2%.

Alcalóides de cordeiro

Em medicina, são utilizados chifres (esclerócios) de cornete. Eles contêm seis pares estereoisoméricos de alcalóides. A cada levógiro ativo corresponde o isómero dextrorotatório menos fraco. Em particular, ergotamina e ergotaminina, ergocristinas e ergocristina, ergosina e ergosimina, ergocriptina e ergocriptina, etc. O principal constituinte de todos os alcalóides levógiros é o ácido lisérgico. A composição e o conteúdo dos alcalóides dependem da raça biológica do fungo, dos fatores externos e da planta hospedeira.

Obtendo LSD

O químico suíço Albert Hoffmann (ilustrado acima) em 1938 a partir dos derivados do ácido lisérgico contido no maconha, produziu quimicamente a droga – o LSD infame. Após 5 anos, a mesma pessoa descobriu as propriedades alucinógenas do composto. Atualmente, o LSD na maioria dos países do mundo é proibido pela Convenção da ONU, assim como o processo de estudo. A Suíça é uma exceção: desde 2008, foi permitido realizar terapia em seu território para pacientes mortalmente doentes, inclusive em estágios críticos do câncer.

Use em medicina

O uso de alcalóides em medicina é conhecido por um longo período de tempo. Ergot é um fungo que é usado ativamente na prática obstétrica e ginecológica. As drogas na sua base causam uma contração prolongada e severa da musculatura uterina, e também impedem o sangramento uterino. Esta ação deve-se à presença de alcalóides levógiros ativos fisiologicamente ativos, especialmente a ergometrina. É menos tóxico do que outros, a duração da ação não é tão alta, mas o efeito vem mais rápido.

Os alcalóides hidrogenados de ergot apresentam propriedades sedativas pronunciadas. A este respeito, são valorizados no tratamento de hipertensão, enxaqueca, doença de Basedova, transtornos mentais.

O envenenamento por ergot não ocorre apenas em seres humanos, mas também em animais. Uma vez que os cereais para eles também são alimentos, é importante monitorar a limpeza dos grãos alimentares para aves e gado. O principal sinal de envenenamento é a necrose da cauda, orelhas, membros.

É isso, ergot. Esta cultura é capaz de proporcionar um impacto verdadeiramente global sobre o mundo que nos rodeia. Se um pequeno fungo causará epidemias ou se tornará um medicamento efetivo depende da correção da abordagem da pessoa à natureza.