528 Shares 3822 views

O filho de Zeus e Hera. O filho não amado de Zeus. Nomes de todos os filhos de Zeus

Os antigos gregos adoravam lutar e consideravam a batalha uma questão difícil, em conexão com isso eles tinham diferentes deuses responsáveis por isso. É verdade que eles inventaram um deus especial para todo tipo de guerra (ofensivo, defensivo, justo e injusto). Mas a luta, travada com uma mente e terminando com a vitória, foi dominada por Atena, e a batalha cega e feroz com um resultado incompreensível foi liderada pelo filho de Zeus – Ares.


Introdução

Este deus governou uma guerra sanguinária, cheia de fúria, onde as pessoas se mataram no campo de batalha com uma crueldade particular. O filho de Zeus e Hera adorava o processo e a ação em si, não estava interessado nos motivos e no fim da batalha. A alegria de Ares foi trazida pelos gritos dos soldados, pelos sons das armas, e ele recebeu o verdadeiro prazer da coragem dos lutadores e da morte deles. Todas essas características não provocaram emoções positivas entre pessoas ou outros deuses. Ele – o filho não amado de Zeus, a quem ele queria jogar no Tártaro, mas não podia por causa de laços familiares.

Infelizmente, os fatos que contam sobre Ares são caracterizados pela fragmentação e contradição. Para a maioria dos historiadores e outros estudiosos, o filho de Zeus não interessava muito, já que os gregos antigos não estavam inclinados a honrar esse deus, eles simplesmente estavam com medo dele. Mas os poetas da Grécia antiga cantaram Ares em seus poemas e ode. Neste artigo, tentaremos colecionar uma imagem holística de um deus forte e agressivo da guerra.

Quem é este Ares?

O filho de Zeus representa uma militância furiosa, uma selvageria original e uma crueldade feroz. Para os atributos de Ares pertence uma tocha ardente, e armas como uma lança ou animais (um cão ou uma pipa). Na montanha olímpica de vez em quando havia um conselho de doze deuses, e o filho de Zeus, Ares, era o terceiro.

Filhos de Deus

Ares tinha pouca semelhança com outros habitantes do Olimpo, distinguidos pela sabedoria e discrição. A origem do deus foi envolta em mistério e controvérsia. Acreditava-se que o filho de Zeus e Hera nasceu na Trácia, onde prevaleceu o clima severo e as pessoas duras. Ele passou sua infância neste país. O jovem Ares não era tão bonito e encantador quanto o Apollo. O filho de Zeus teve sua própria beleza especial. Cabelos escuros, pele clara, aparência ardente, um oval de rosto correto – tudo isso criou uma imagem de severidade e equanimidade.

Caráter de Ares

O filho de Deus (Zeus) cuidou de sua aparência, elegantemente vestido com roupas elegantes. O animal de estimação caprichoso de Hera não sabia sobre a recusa, ele tinha permissão para todos ou quase todos. Essa paternidade incorreta influenciou os traços de caracteres negativos na íntegra.

Boasting, agressividade, autoritarismo, descortesia, intemperança, crueldade às fraquezas humanas e indefesão, medo da dor – todas essas qualidades eram possuídas pelo filho não amado de Zeus. Você pode desenhar uma analogia desse deus com um cachorro feisty, cujo cabelo é levantado no final, há um sorriso terrível, um barking ruidoso e que está pronto para morder imediatamente a vítima, mas assim que ele se sente rejeitado, imediatamente pende a cauda e foge.

História da vergonhosa fuga de Ares

Como vítimas, o filho mais amado de zeus preferido pássaros. Quando era criança, ele espreitava a águia do pai ou o pavão da mãe, o corvo apolíneo, o peixe-gato de Athena ou a pomba de Afrodite e queriam atirar no pássaro com o estilingue. E outros filhos de Zeus surgiram com o castigo de Ares. Os nomes de Apollo, Dionysus e Hephaestus tornaram o deus supremo orgulhoso.

Apollo ofereceu ao jovem Ares uma aposta de que ele não seria capaz de escalar o declive ocidental do Monte Olimpo e esmagar pelo menos um ovo das gaivotas aninhando lá. O deus guerreiro deu a aposta, porque a inclinação, na opinião dele, não era muito íngreme e difícil de escalar, e as gaivotas pareciam agradáveis e completamente não agressivas. Ares rapidamente subiu ao topo, mas as gaivotas bonitas e calmas não estavam tão indefesas. Ouvindo o grito de um pássaro, cujo ovo foi roubado por Ares, o pacote inteiro voou ao redor do jovem deus. As gaivotas gritaram e jogaram o seqüestrador com uma ninhada branca e esparsa. Ares engasgou com um cheiro de cheiro, cego pela onda de milhares de asas de pássaro. Ele não podia fazer nada, e, portanto, a fuga era pelo menos vergonhosa, mas a única opção. Apollo também escapou com insultos.

Zeus não conseguiu pensar em nada a ver com um filho-hooligan que não possuía nenhum talento e não queria aprender. A mãe do menino levantou seu filho amado e perguntou ao governante do Olimpo para o cargo de ministro dos assuntos militares, porque seu filho era um candidato ideal. Assim, Ares (filho de Zeus) tornou-se o deus da guerra, dissecando espaço em uma brilhante carruagem com um par de magníficos cavalos que sopravam fogo.

Deus guerreiro da maturidade

O feroz Ares se alegra apenas quando a crueldade prospera no campo de batalha. Está rumores de que ele está com vestes brilhantes e com um enorme escudo com grandes frenesi apressando-se no fundo da batalha, onde o ar está cheio de gritos, gemidos, estrondo de armas.

No campo de batalha, o deus da guerra é acompanhado por Deimos e Phobos. Estes são os dois filhos de Ares. Deimos personifica o horror e Phobos – medo. Também no séquito deste deus, você pode ver Eridu (a deusa da discórdia) e Enyo (a deusa que semeia assassinatos). Aqui voa entre os guerreiros tais irmãos, eles caem, perecem, e o Deus da guerra se alegra e se alegra. O ecstasy Ares recebe, quando o soldado morto pela arma perece, e de uma ferida no chão o sangue flui. Medo, horror, desgosto – todas essas emoções que Deus causou os antigos gregos.

Foi terrível que Ares odiasse a deusa do mundo – Eirene. Mas a amizade com Eris também não foi suave, porque ele rejeitou a parte da deusa que foi reverenciada pelas pessoas como uma força atraente para competir em um trabalho pacífico. Mesmo o filho de Zeus e Leda, Polydeucus, sucumbiu à influência de Ares no campo de batalha. Os deuses adoravam ver a vida dos mortais, as batalhas e, quando estavam entediados, eles podiam organizar os motivos das guerras. Alguns deles até desceram do Olimpo para ajudar seus animais de estimação. Mas para Ares, a guerra era o principal significado da vida, ele não pensava nas suas causas, fosse justo ou não. O tipo de sangue fez o deus insano, e ele começou a matar os lutadores de ambos os lados, não descobrindo quem estava certo e quem era o culpado.

Aconteceu que Ares, escondido em uma multidão de soldados, fez um grito terrível, como se fosse gritado por vários milhares de pessoas. Este grito fez uma impressão indelével sobre os lutadores, e eles começaram a matar todos com grande fúria, tudo de uma só vez, independentemente do sexo e da idade. Os guerreiros nem sequer consideraram o valor das vidas das pessoas do lado inimigo que poderiam se tornar escravas. Mesmo os animais não receberam misericórdia. Os guerreiros simplesmente se transformaram em assassinos.

Devemos nos surpreender que os antigos gregos acreditassem que o deus Ares era o culpado por todos os seus problemas e infortúnios? Então eles tiveram uma decisão. Eles queriam se livrar do Deus sanguinário, de modo que, no mundo mortal, a felicidade e a paz finalmente vieram. Mas as pessoas comuns não podiam lidar com a deidade. Ajudar os gigantes Efialtes e Otos concordaram. Eles capturaram Ares e colocaram-no em uma prisão de cobre. Durante treze meses, um deus sedento de sangue foi preso em cadeias terríveis e provavelmente poderia ter morrido lá, mas a madrasta dos gigantes, Eribey, deu a notícia a Hermes, que libertou a Ares, meio morta. Todo esse tempo na terra havia paz e tranquilidade. Treze meses foram os mais felizes e mais frutíferos para os mortais.

Não menos do que as pessoas devastadas, Ares odiava a filha de Zeus, Athena Pallas. A deusa ajudou os heróis gregos, por exemplo, Perseus, o filho de Zeus e Danae, recebeu sua atenção. Ela personificou a guerra justa e justa, ela era mestre artesão e possuía habilmente uma questão militar, porque ela venceu Ares duas vezes.
O herói grego antigo Hércules – o filho de Zeus – também lutou com o deus da guerra, e ele fugiu com medo para os celestiais.

Guerra e Amor – Ares e Afrodite

A Afrodite bonita era a esposa do ferreiro ferreiro Hefesto. Mas ela deu à luz quatro filhos (Phobos, Deimos, Harmony, Eros) de Ares, um deus apaixonado, pugnaz e frenético. Gremucha mistura, que é improvável que traga algo de bom – amor louco e guerra insana.

O secreto e trabalhador Hephaistus nem sequer suspeitava da traição de Afrodite. Mas uma vez que o casal apaixonado ficou na cama e se encontrou com a aparência do sol (Helios), que contou sobre a traição ao ferreiro. Hephaestus ofendido e perverso forjou em sua estranha coisa estranha – as telhas de aranha mais finas e ao mesmo tempo muito fortes, que ele anexou à caixa familiar. Quando o feliz Afrodite voltou para casa, seu marido informou-a de sua jornada para a ilha de Lemnos. A esposa não queria ir com ele, e como Hefesto deixou o limiar, ela chamou Ares para ela, que apareceu muito rapidamente nos palácios de Afrodite.

Os amantes se divertiram a noite toda e, na manhã seguinte, viram que a cama e eles próprios estavam sob a delicada teia de aranha. Hephaestus, que havia arranjado tudo isso, os pegou nus e desamparados. Ele chamou todos os deuses para mostrar a traição de Aphrodite e Ares. As deusas ficaram em casa, e os deuses decidiram examinar esta ação. God-Blacksmith colocou um ultimato para Zeus (seu pai), então ele devolveu todos os presentes de casamento, e só então ele vai deixar sua esposa ir. Muitos deuses – tanto Apollo como Hermes – gostariam de estar no lugar de Ares mesmo em uma telha, mas ao lado de Afrodite. Tal conversação foi conduzida pelos filhos de Zeus, cujos nomes foram mencionados. Mas o deus supremo estava irritado com essa conversa, ele se recusou a devolver os presentes de casamento de Hefesto e disse que não é bom interferir no conflito familiar. Outro deus que esteve presente nesta demonstração, Poseidon, quando viu o corpo nu de Afrodite, se apaixonou pela deusa encantadora neste momento e ficou muito aficionado por Ares. O deus do mar fingiu simpatizar com Hefesto e ofereceu ajuda. Ele afirmou que faria tudo para garantir que Ares pagasse por sua liberdade o preço não menos do que os presentes de casamento de Hephaestus. Se o deus da guerra não faz isso, o próprio Poseidon dará a quantidade necessária e casará com a bela deusa.

Após a libertação dos cativos, Ares nem sequer pensou em devolver a dívida, porque se o deus supremo não paga, por que deveria fazê-lo. Ele não pagou nenhuma redenção a Hefesto, mas ele não estava muito chateado, porque ele amava sua esposa e não queria deixá-la ir, mais divórcio.

Após essa aventura, Ares voltou para sua terra natal, e Afrodite se estabeleceu em Chipre, onde novamente tornou-se virgem depois de nadar no mar. A situação descrita não teve efeito sobre a deusa, pois continuou a sentir uma forte paixão pelo deus guerreiro e sempre o defendeu, e é por isso que Athena brincava constantemente e zombava de Afrodite. Ares também sentiu invejosos ciúmes e amor.

O ciúme de Ares

Nos mitos dos antigos gregos descreveu uma história, quando o Aphrodite ventoso se apaixonou pelo maravilhoso Adonis. Ele também gostou de Persephone, a esposa do patrono subterrâneo – Aida. A disputa entre as duas deusas deveria ser decidida por Zeus, mas ele se recusou a fazer um julgamento tão indecente e delegou o assunto às musas. Eles decidiram que Adonis viveria com Afrodite por duas estações do ano, uma para Perséfone e uma para si. Mas a estúpida deusa do amor por todas as verdades e faltas persuadiu Adonis a passar a temporada para o jovem, com ela. Assim, o jovem amante passou mais tempo com Afrodite. Acontece que o tribunal não aderiu à decisão do tribunal. Perséfone, ao saber disso, ficou indignada e foi conversar com Ares. Ela contou sobre o caso de amor de Afrodite ao deus da guerra. Cego pelo ciúme, Ares se transformou em javali e matou Adonis enquanto caçava bem na frente da deusa do amor. Esse foi o Ares inteiro! O filho de Zeus e Callisto também sentiu a ira do deus da guerra.

Filhos do deus guerreiro

Ares tornou-se o pai de quatro prole, cuja mãe era Afrodite. Deimos e Phobos estavam constantemente com seu pai no campo de batalha, no meio da batalha. Filha A harmonia era algo como uma mãe e trouxe a felicidade das pessoas ainda mais do que a deusa do amor. O filho de Eros tinha a natureza de um pai e estava envolvido na especialização de minha mãe ao fomentar o amor. Este menino com asas brilhantes, arco dourado e flechas foi distinguido pela brincadeira, a astúcia e às vezes até a crueldade. Era tão leve como uma brisa de verão. Ninguém poderia escapar de suas flechas de amor. Eros é muito inteligente e não concede na arte de atirar no próprio Apollo. As flechas de um menino fofo trouxeram pessoas, não apenas amor e alegria, mas muitas vezes sofrimento, talvez até a morte. Após o nascimento, Zeus queria matar o bebê, sabendo os problemas e tristezas que Eros trará aos deuses e às pessoas.

A mãe de Afrodite não machucou seu filho e o escondeu em uma densa floresta, onde ele foi criado pelas leoas. E Eros permaneceu ileso. Ele está voando agora no mundo e traz paz, amor e tristeza, bem e maldade, conquistando com suas flechas e muito jovens, e até mesmo os idosos. O filho de Afrodite e Ares ativa uma força que atrai pessoas, deuses ou deuses um para o outro. Isso não é tão importante.

Para os descendentes de Ares, os historiadores incluem a deusa da sangrenta vingança Erinia e o terrível dragão. Com ele num duelo juntaram Cadmus, cuja irmã foi sequestrada. Ele e vários outros jovens se reuniram em busca dele. No caminho, eles se perderam, e Cadm chegou a Delphi, onde o oráculo aconselhou-o a seguir a vaca e, onde poderia parar, construir uma cidade. Tendo apenas alguns servos, ele não conseguiu perceber essa previsão. Mas então piorou, porque um dragão saiu da caverna e comeu todos os criados.

Ao ver tudo isso, o jovem começou uma batalha insuportável com o dragão e graças a esforços incríveis que ele conquistou. Deitado na grama, sem qualquer força, Cadm escutou a voz imperiosa de uma mulher. Ele ajudou o jovem a se levantar e arrancar os dentes do dragão, então Cadm sembrou o campo. Dos dentes surgiram guerreiros que lutaram uns contra os outros, alguns deles morreram, e com os que permaneceram, o jovem colocou a cidade. Foi nomeado após o herói – Cadmeia.

Depois que Cadmus matou o dragão, ele teve que se tornar um servo do deus de sangue Ares por muitos anos. Após o serviço, o jovem casou-se com a filha de Ares e a deusa do amor de Aphrodite – Harmony.

Conclusão

No artigo apresentado, foi feita uma tentativa de coletar toda a imagem do deus guerreiro Ares. Nascido na áspera Thrace, ele era feroz e cruel. Este é o filho amado da mãe de Hera, mas odiava seu próprio pai. Ares assustou o povo mortal e desgostou os deuses imortais. O significado da vida desse deus foi a guerra, o próprio processo, as batalhas e batalhas, os gritos de guerreiros, o clank de armas, os gritos das vítimas. Mas antes de uma força maior, Ares concedeu e partiu, embora, é claro, ele não gostou nada disso.

Outro elemento, no qual Ares mergulhou completamente, foi o amor da deusa incrivelmente bela e feminina Afrodite. Celos por seu Deus murchado, e ele, cativado por esse sentimento frenético, arrastou tudo em seu caminho. A fúria, o engano, a crueldade são qualidades do Ares sanguinário, que não vai parar em nada. O sangue e a morte, sobretudo, atraem o deus da guerra.

É simplesmente impossível listar todos os filhos de Zeus, mesmo os historiadores não podem fazê-lo. Vamos nomear os nomes dos mais famosos deles. Estes são Ammon, Hércules, Dardanus, Dodon, Kary, Lokr, Melitej, Perseus, Tântalo, Epaph e outros.