776 Shares 2027 views

O que é uma "tristeza feliz"? Interpretação do poema Marshak "lírio do vale"

Samuil Marshak Yakovlevich amplamente conhecido como o autor de histórias de crianças maravilhoso escrito em verso e traduções poéticas. Crianças e, por vezes, os adultos gostam de rir sobre um homem distraído a partir da piscina rua. Ou, vendo os transeuntes carregados além da medida, em seguida, citou: "A senhora entregou na bagagem …" E como animado lemos romântica balada Stevenson, traduzido por Marshak, de mel de urze e povo escocês corajosos! Feat seus personagens assombrando por um longo tempo, e não ecoa esquecido com o passar do tempo. No entanto, há um poeta e originais, incrivelmente belos poemas líricos.


humor primavera

Um deles é chamado short – "lírio do vale". É surpreendentemente suaves esboços paisagem sobre o tema da primavera despertar da natureza. Poema escrito em 1949, e foi publicado pela primeira vez no ciclo "A partir cadernos líricos", que foi incluído nos poemas de cobrança". 1948 – 1951".

O segundo título do trabalho é dada por sua primeira linha: "Eu Escurecem floresta …" Simples, simples, ele saiu em Marshak profundamente sincero e animado. Particular impressão última estrofe: "pinheiros floresta em ranneyu primavera / E toda a tristeza feliz / E toda a sua fragrância / Ele deu uma flor amargo". O que é uma "tristeza feliz" por Lily of the Valley "amargo"? Vamos tentar descobrir isso.

oxímoro

Entre os tropos artísticas (meio figurativa-expressivos da linguagem), além de metáforas, epítetos, como poetas oxímoro comumente usado. Este composto em forma de conceitos de produtos espaço e fenômenos que no mundo real são longe o suficiente. Na verdade, o que é uma "tristeza feliz"? A mesma que a de Pushkin "Estou triste e luz / brilhante, minha dor …"

Nos dicionários definidos como sentimento melancólico negativamente cor, estado pesado de espírito, cheio de tristeza, ansiedade, depressão, má saúde geral. Felicidade – radicalmente emoção oposta. É bem-aventurança, a mais alta forma de prazer da vida. Mas então, o que é uma "tristeza feliz", como decifrar a expressão? Este é um exemplo vivo de um oxímoro. Graças à sua utilização Marshak particularmente impressionante consegue mostrar e transmitir alegre expectativa da mola que desperta a natureza, flor, enchendo a seiva que dá vida. O poeta pinta uma imagem da despedida floresta para a roupa de inverno frio. Era tudo nu, preto, feio, sombrio. Mas esta é apenas a primeira impressão, fugaz. Na verdade, cada galho, cada nó da floresta está cheia de antecipação suave dias de sol, chuveiros quentes, burburinho aviária e ele adornada com, pegajoso, perfumado jovens folhas frescas. Mas ainda está por vir! Madeira aguarda com expectativa o momento de seu triunfo, e – isto é o que a "tristeza feliz" em nosso poema. E agora ele admira florescer lírio do vale, e está disposto a dar-lhe o poder de vida, o despertar dos quais sente-se, de modo que a flor tornou-se mais bonita, mais rapidamente alcança a luz, ele floresceu mais exuberantemente.

Da palavra à imagem

Como você pode ver, a palavra "saudade" não é sempre interpretado em uma linha reta. Dependendo do campo semântico da compatibilidade lexical, forma da palavra pode adquirir um significado adicional. É o fenômeno que nos encontramos no esboço lírica Marshak "lírio do vale". Les longs, mas a sua "tristeza brilhante". Ele sabe, sente que a hora e sua celebração se aproxima, que neste momento não está longe. Na verdade, um feliz florestas melancólicas – um reflexo do estado mental de toda a natureza no início da primavera, sendo todos os seres vivos. E da natureza em Marshak – animada, dotada de sua própria espiritualidade e forma de ser

O tema eo idéia do trabalho

"Lírio do vale" – um poema filosófico. Paisagem da floresta – uma espécie de desculpa para o poeta a refletir sobre as origens da beleza, aniversário arte elevada. Criador do que é a vida, fiel às suas próprias leis, em constante mutável materializar o movimento do tempo em um lírio bonita frágil do vale. Flor incorpora o charme eo buquê de sabores que em breve preencher toda a floresta vai se tornar uma parte dela. E enquanto ele – um por todos – alto e cantar solenemente o hino nacional na primavera e a Vida!