265 Shares 2403 views

Analisador olfativo: estrutura e função. Características da idade do analisador olfativo

Com a ajuda de analisadores de vários tipos, as pessoas estão orientadas no mundo circundante. É através da visão, audição, cheiro e outros sentidos que percebemos o ambiente externo, reconhecemos os perigos. Para cada pessoa, diferentes analisadores não podem ser desenvolvidos da mesma maneira. Vamos tentar entender no artigo o que é o analisador olfativo. A estrutura e as funções, o significado para a saúde de um dos sentidos são discutidos neste artigo.


Definição do sentido do cheiro

A maioria das informações sobre o mundo ao redor da pessoa percebe com a ajuda do órgão da visão, mas sem o cheiro, a imagem não seria tão brilhante e compreensível.

O sistema olfativo é projetado para reconhecer substâncias que são capazes de dissolver e ter volatilidade. Este sistema cria imagens subjetivas sob a forma de certos cheiros. O significado do analisador olfativo também é que ele pode fornecer uma avaliação objetiva da qualidade do ar, dos alimentos e do meio ambiente como um todo.

Se compararmos o órgão do cheiro em seres humanos e animais, podemos dizer que, para os animais, esse órgão tem um significado especial. Mas não pode ser desenvolvido da mesma forma para todos. Por exemplo, existem formas de vida em que o analisador olfativo é desenvolvido bastante bem. Assim, algumas espécies de borboletas podem encontrar o parceiro pelo cheiro a uma distância de até 8 quilômetros. Todos conhecem cães que podem seguir a trilha de um homem, guiados pelo cheiro de suas coisas.

Funções do órgão olfativo

Se considerarmos as funções do analisador olfativo, podemos notar o mais importante e significativo:

  1. Análise de alimentos para edibility e atratividade. Com a ajuda deste sistema, o grau de adequação do produto pode ser determinado.
  2. Formação de comportamento alimentar.
  3. O analisador olfativo assume uma parte direta na configuração do sistema digestivo para o processamento de alimentos.
  4. Determinação de substâncias perigosas para o corpo humano.
  5. Formação de comportamento sexual, que pode mudar sob a influência de feromonas.
  6. Com a participação deste analisador, ocorre a orientação da pessoa no meio ambiente.
  7. O conhecimento do mundo externo não faz sem o cheiro sensível.

Pode-se notar que, nas pessoas que são privadas de visão, o sentido do cheiro pode se agravar e sentem cheiros muito melhores, o que os ajuda a orientar-se neste mundo.

Estrutura do analisador olfativo

Se considerarmos a estrutura deste órgão sensorial, os seguintes departamentos podem ser notados:

  1. Periférico. Inclui células receptoras localizadas na mucosa nasal. Eles terminam com cílios, cercados por muco. Nela, as substâncias odorosas se dissolvem. Existe uma interação química, que se transforma em um impulso nervoso.
  2. O departamento de condutores consiste no nervo olfativo. Nela, os sinais dos receptores vão para o prosencéfalo, onde a lâmpada olfativa está localizada. Nela, a análise primária da informação ocorre, então os impulsos irão para a próxima seção do analisador.
  3. A seção central está localizada no lobo temporal e frontal do córtex cerebral. É aqui que a investigação final da informação é realizada, o cheiro é reconhecido e a resposta final do nosso organismo ao seu efeito é formada.

Conheceremos mais detalhadamente a estrutura eo funcionamento desses departamentos.

Parte periférica do analisador

Considerando a estrutura do analisador olfativo, é necessário começar com o departamento inicial. Está localizado na cavidade nasal. Nesses locais, a mucosa é ligeiramente engrossada, coberta de secreções mucosas, que desempenham um papel protetor, protegem contra a secagem e também participam da remoção dos irritantes restantes após o término da ação.

É aqui que o contato entre substâncias odorosas e células receptoras é realizado. No epitélio, distinguem-se dois tipos de células:

  • Apoiar. Eles participam de processos metabólicos.
  • Olfativo. Estes são os próprios receptores, que têm um grande número de cílios para aumentar a área de contato.

As células olfativas têm dois processos, um dos quais passa para o bulbo olfativo e o segundo tem a forma de uma haste e termina com uma bolha com cílios.

Departamento de condução

Este departamento destina-se a realizar informações, portanto, é representado por vias nervosas que formam o nervo olfativo. Ele consiste em pacotes separados que vão para a plataforma visual.

Existe uma conexão com o sistema límbico, o que explica a presença de emoções no processo de percepção de odores. Por exemplo, alguns odores podem causar prazer, outros – nojo e assim por diante.

Seção de analisador central

Este departamento inclui uma lâmpada olfativa. Este é também o departamento nos lobos temporais do cérebro.

Está localizado na parte anterior do córtex em forma de pera na região do hipocampo.

Mecanismo de percepção do odor

Para efetivamente perceber substâncias irritantes, suas moléculas devem primeiro se dissolver no muco que envolve as células receptoras. Em seguida, há interação com proteínas especiais, incorporadas na membrana celular.

Esse contato é possível se a forma da molécula do estímulo corresponder à forma da proteína. A substância mucosa controla a acessibilidade da superfície dos receptores para moléculas de uma substância odorosa.

Após a molécula do estímulo entrar em contato com a proteína receptora, ocorre uma mudança na estrutura do último, pelo que os canais de íons de sódio se abrem na membrana. Os íons de sódio penetram no interior e criam cargas positivas, o que leva à despolarização da membrana.

A partir da célula receptora, um mediador é liberado, o que leva à formação de um impulso nervoso nas seções de fibras nervosas. Assim, na forma de impulsos nervosos, a excitação olfativa começa a ser transmitida para outras partes do analisador.

O trabalho do sistema olfativo

Se imaginarmos como funciona o analisador olfativo, todo o trabalho pode ser dividido em várias etapas:

  1. Promoção de um estímulo odoroso para as células receptoras, que termina com uma conexão às proteínas receptoras.
  2. Transformação dos efeitos químicos de uma substância odorosa em um impulso nervoso. Este estágio começa com a ligação do estímulo ao receptor e termina com a geração de impulsos nervosos.
  3. Movimento do impulso nervoso ao centro nervoso inferior. Pode ser decifrado como movimento em direção à lâmpada olfativa.
  4. A transformação do pulso na lâmpada olfativa.
  5. Promoção de impulsos nervosos para centros olfativos superiores.
  6. Construção de uma imagem de irritação sob a forma de um certo cheiro.

Todos esses estágios seguem consistentemente um ao outro. Se houver problemas ou violações em um deles, podemos dizer que a percepção de odores é violada.

Se acostumar com o analisador olfativo

Analisamos as características do analisador olfativo humano, mas também deve notar-se que este sistema de sensores é capaz de se adaptar. Isso ocorre com exposição prolongada ao estímulo.

A adaptação do analisador pode ocorrer dentro de alguns segundos e às vezes leva até cinco minutos. Tudo depende de vários fatores:

  • Duração do contato com substância odorosa.
  • Concentração do estímulo.
  • Taxas de fluxo de ar.

Há um grupo bastante grande de substâncias odorosas às quais o analisador olfativo se adapta rapidamente. Leva muito pouco tempo, e o cheiro deixa de ser sentido. Um exemplo vívido é a adaptação completa ao cheiro de seu corpo, sala, coisas.

Para alguns irritantes, a habituação é formada lentamente ou, em geral, apenas parcialmente. Sob a influência de um estímulo olfativo fraco, por um curto período de tempo, o vício pode aparecer como um aumento na sensibilidade desse analisador.

Já foi estabelecido que o desenvolvimento da adaptação não ocorre na primeira seção do analisador, mas no último, isto é, o cortical. Muitas vezes, quando a mesma substância perfumada dura muito tempo, um foco estável de excitação é formado no córtex dos grandes hemisférios. Nestas situações, um sentido do olfato também pode ocorrer quando exposto a outros estímulos. Às vezes, esse sentimento pode tornar-se irritante e aparece mesmo na ausência de irritantes. Neste caso, você pode falar sobre alucinações ou ilusões.

Só pode ser dito com certeza que, se a adaptação a um odor particular for observada, isso não afetará a percepção de outros estímulos de qualquer maneira, pois todos os estímulos afetam diferentes receptores.

Teoria da percepção de odores

Atualmente, são conhecidas mais de 10 mil substâncias odoríferas. Todos podem ser agrupados em sete classes de odores primários:

  • Flor.
  • Mint.
  • Musky.
  • Eteric.
  • Putrefaction.
  • Camphoric.
  • Corrosivo.

Se houver uma mistura de vários cheiros, então seu analisador olfativo pode perceber como uma fragrância completamente nova. As moléculas de diferentes substâncias diferem em diferentes formas, por exemplo, o cheiro de cânfora tem moléculas redondas e musky – na forma de um disco. Além disso, eles diferem também pela carga elétrica: alguns podem ter um positivo, e outros – um negativo.

Existem muitas teorias que tentam explicar o mecanismo de percepção dos odores. Atualmente, o mais comum é o estereoquímico, o que afirma que existem vários tipos de sites na membrana das células receptoras. Eles diferem em sua estrutura e eletrofilia. Eles são capazes de reconhecer moléculas perfumadas de certa forma e tamanho.

Tipos de distúrbios do odor

Além do fato de que o analisador olfativo não está bem desenvolvido em todos, além disso, é possível observar algumas violações e desvios em seu trabalho:

  • A anosmia é uma falta total da capacidade de perceber odores.
  • A hiposmia é uma redução no cheiro.
  • A hiperosmia, pelo contrário, é observada com aumento da sensibilidade olfativa.
  • A parosmia caracteriza a percepção inadequada de odores.
  • Perturbação da diferenciação.
  • O aparecimento de alucinações olfativas.
  • A agnosia olfativa é colocada no caso de uma pessoa cheira, mas não pode reconhecê-la.

Deve-se notar que com a idade, ocorre uma diminuição gradual da sensibilidade olfativa. O analisador olfativo não é mais capaz de detectar cheiros de forma tão clara e rápida. Os cientistas calcularam que, aos 50 anos, o sentido do cheiro de uma pessoa média foi reduzido pela metade em comparação com a adolescência.

Analisador olfativo e suas características de idade

O primeiro momento durante o desenvolvimento intrauterino do analisador olfativo começa a formar o departamento periférico. Isso já está na 8ª semana de desenvolvimento. Até o final da gravidez, ou melhor, no final de 8 meses, este analisador já está totalmente formado.

Já imediatamente após o nascimento, pode-se observar a reação de um recém-nascido a cheiros. Isso se manifesta sob a forma de movimentos imitadores, mudanças no funcionamento do músculo cardíaco, a freqüência de respiração, a posição do corpo.

É com a ajuda do sentido do cheiro que o bebê reconhece o cheiro de sua mãe. Este órgão sensorial é um componente importante da formação de reflexos alimentares. Gradualmente, quando a criança cresce, há um aumento na capacidade do analisador de diferenciar os odores. A finura e a força desse processo aumentam em 4 meses.

Se compararmos a capacidade de perceber e diferenciar odores em crianças de 5-6 anos e adultos, podemos dizer que o último é muito maior.

Estas são as características de idade do analisador olfativo. Você também pode dizer que, como resultado do treinamento sistemático, você pode melhorar significativamente seu sentido do cheiro, mas os fumantes pesados correm o risco de perder sua percepção, porque os componentes do fumo do tabaco influenciam negativamente os receptores. Além disso, doenças inflamatórias freqüentes da cavidade nasal contribuem para reduzir o sentido do cheiro.

Então examinamos o analisador olfativo. A estrutura e as funções dele são descritas com toda a acessibilidade possível. Pode-se dizer com certeza que todos os órgãos dos sentidos são importantes para uma pessoa. Se houver problemas no trabalho de pelo menos um analisador, então já se pode dizer que a adequação da percepção do mundo circundante é reduzida, a plenitude das sensações da vida desaparece. Cuide-se e seus sentidos.